Get this widget | Share | Track details
Mulheres de Atenas: Junho 2005

13 junho 2005

Publicidade enganosa?

Bom dia!

A cerca de 55 quilómetros a sul de São Miguel, a pequena ilha de Santa Maria oferece uma variedade de belas paisagens e tranquilas praias de areia branca. Foi a primeira ilha do arquipélago a ser descoberta, por navegadores portugueses, em 1427. /viajar.clix.pt

“Praia Formosa é uma das maiores enseadas açorianas com um areal de areia branca que começa na Prainha e vai até à Ponta de Malbusca.” www.destinazores.com.

“A Praia Formosa situa-se na costa sul da Ilha de Santa Maria, pertence à freguesia de Almagreira, concelho de Vila do Porto.
A pouca distância de Vila do Porto a par de boas acessibilidades e a existência de uma belíssima praia de areias claras fazem deste local uma zona de eleição de muita gente que ali acorre sobretudo no Verão.
De há alguns anos a esta parte, cada vez mais, a Praia Formosa se tem tornado também numa zona de veraneio e lazer. O grande número de habitações destinadas a esse fim e a crescente procura, são prova disso mesmo.”praiaformosa.planetaclix.pt

A Praia Formosa constitui um dos recantos mais apreciados da ilha, nomeadamente nos meses de verão, quando a sua extensa praia de areia fina e clara é frequentada por muitos banhistas. De igual modo, é conhecida internacionalmente como um dos melhores lugares para a prática do “surf”. www.turangra.com

Estes são quatro pequenos textos que encontrei na Internet em sites que tratam de assuntos relacionados com o turismo.
A referência às praias de areia branca de Santa Maria é antiga.
A origem geológica de Santa Maria e, principalmente da sua zona Sul/Sueste, determina a qualidade destas areias finas e brancas onde a ausência do basalto as distingue das areias das restantes ilhas. Esta diferença de cor e textura das nossas areias torna Santa Maria, uma excepção aproveitada para, tendo como referência, as praias do continente, vender a diferença relativamente às restantes praias açorianas.
A grande extensão e largura da Praia chamada de Formosa poderiam ser, de facto, factores de desenvolvimento turístico de Santa Maria se o chamado progresso não a tivesse estragado definitivamente. O progresso e a falta de visão do futuro. A construção da estrada no local onde está foi um erro tremendo que por ter roubado largura à praia e ter alterado a sua fisionomia dificulta a reposição cíclica das areias. Toda a gente reconhece este erro crasso e é estranho que quando se planeou a construção da nova versão do Paquete não se tenha tentado alterar o que está mais que provado estar errado, não se tenha expropriado uma fatia dos terrenos ao longo da estrada e se tenha refeito a mesma no sítio onde sempre deveria ter estado e se tenha construído o Paquete no lado de cima da estrada. Certamente alguém me está a chamar de doida neste momento ao fazer as contas de quanto não poderia ter custado uma obra desta envergadura, mas é minha opinião de que melhorar as condições da praia é mais importante, neste momento, do que a construção do campo de Golfe.
Santa Maria está a fazer publicidade enganosa ao vender-se como destino turístico quando coloca nos folhetos promocionais referência à Praia e ás suas areias. Sexta-feira dia 10 de Junho fui à Praia. Por acaso não ia preparada para lá ficar e tomar banho mas se fosse ficaria a olhar o mar como ficaram dezenas de turistas que vindos de S Miguel seguindo o anúncio das areias brancas da nossa praia ficaram decepcionados com o seu aspecto desolador com que se depararam. Fui abordada por um grupo de pessoas que falavam espanhol e me perguntaram se aquele local era mesmo a Praia Formosa e, quando o confirmei me questionaram onde estava a areia. Pois…fiquei embaraçada… nem um palmo de areia nem branca nem preta para amostra e como se isso não bastasse e o mar batesse no muro. Disse-lhes que talvez no dia seguinte de manhã tivessem alguma largura de areal quando a maré estivesse baixa e tentei explicar-lhes que a acção do homem tinha estragado o que a natureza nos tinha dado: a maior baia de Santa Maria e a maior praia de areia branca dos Açores.
Sábado dia 11 a Associação Juvenil de Santa Maria promoveu um passeio pedestre integrado no seu aniversário “à descoberta dos moinhos de água de Santa Maria”. Integrou o grupo, para além dos organizadores, vários grupos de jovens de S Miguel do qual quero destacar o dos Jovens sem tabaco, julgo ser este o nome. De Santa Maria e para além, como já referi, a organização os jovens marienses primaram pela quase total ausência, “salvou a honra do convento” para além dos 3 efectivamente jovens de corpo espírito a presença de 4 jovens a caminhar a passos largos para a terceira idade para além desta que ouvis. O passeio apesar da dureza do caminho, houve alturas em que duvidei que chegasse ao fim, foi muito interessante, pela beleza do percurso e pelas explicações que o Dr José Joaquim Cabral nos deu sobre a função dos moinhos na economia mariense de antigamente e sobre o sua constituição e funcionamento. Lamentável é o facto do vários que vimos quase todos eles estarem em adiantado estado de degradação…Assim vai o nosso património. Mas vamos ter um Campo de Golfe…para quê pensar em percursos pedestres e em Turismo Cultural e Ecológico.
Abraços marienses
Santa Maria, 13 de Junho de 2005
Ana Loura

06 junho 2005

De como se é Campeão e não se vai para a Primeira Liga

Bom dia!

Esta semana que passou Santa Maria viu, com alegria, o trabalho dedicado, da secção de Andebol do Grupo Desportivo Os Marienses ser merecidamente coroado pela tão almejada subida ao topo das competições nacionais. A duas jornadas do fim do Campeonato Nacional da Segunda Divisão a equipa Sénior dos Marienses sagrou-se Campeã ao ter vencido por 34/27 o representante de Caldas de Vizela.
Este poderia ser o texto do cabeçalho de uma notícia em qualquer jornal desportivo nacional.
Mas, no desenvolvimento da notícia forçosamente leríamos que as aspirações do Clube Os Marienses e dos marienses que o apoiam em verem a equipa no escalão maior do andebol nacional ainda não é um dado garantido apesar da excelente temporada e de irem receber a taça que orgulhosamente irão colocar em lugar de destaque na montra dos troféus que enfeita o salão da sua sede, pois a federação Portuguesa de Andebol inventou uma liguilha que, se não houver contestação por parte de quem deve contestar, no caso o Governo Regional na pessoa de Senhor Secretário que tutela o desporto e a Câmara Municipal e, claro o próprio Clube, obrigará os Marienses a disputarem o que já é seu de direito: o jogarem na próxima época na Primeira Divisão Nacional.
A federação diz que não tem dinheiro para fazer deslocar os clubes continentais aos Açores e por isso quer reduzir o número de vindas de equipas. Permitam-me que vos leia o comunicado emitido pela CDU após reunião tida com o Senhor Presidente dos Marienses no dia 17 de Maio último.
Aos Órgãos de Comunicação SocialÀs chefias de redacçãoCDU DE SANTA MARIA SOLIDÁRIA COM MARIENSESA Comissão CDU de Santa Maria, não podia deixar de dar os parabéns ao Clube Desportivo “Os Marienses” pelos excelentes resultados obtidos durante esta época e que constituem motivo de orgulho para todos os marienses e para quem gosta de desporto.Contudo, não podemos deixar de demonstrar preocupação com o eventualidade do clube mariense ver inviabilizada a sua subida à primeira divisão de andebol, devido a uma medida da Federação Nacional que consideramos não só injusta, mas também incompreensível”.Para a CDU de Santa Maria não só é inadmissível que a Federação Nacional de Andebol não esteja a cumprir com os regulamentos e a legalidade em relação às equipas açorianas, como é inconcebível que o Governo Regional ainda não tenha envidado os devidos esforços no sentido de exigir a quem de direito, que seja reposta a legalidade e que não haja tratamento discriminatório em relação às equipas regionais.A CDU não só exige que seja respeitada a Lei de Bases do Desporto no que respeita ao princípio da continuidade territorial, como entende que o facto da Federação Nacional não ter dinheiro para fazer face às despesas de deslocação das equipas continentais à região é um problema que compete à própria Federação, aos clubes do continente e ao Governo da República resolver, não podendo nem devendo ser transferido o ónus da questão para a Região, nem podendo nem devendo ser as equipas regionais prejudicadas por tal situação.Demonstramos assim a nossa total solidariedade para com o Clube Desportivo “Os Marienses” e efectuaremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que esta situação seja lançada para a opinião pública e mereça atenção por quem de direito.Na nossa opinião, o que não pode nem deve acontecer é uma equipa como esta, que por mérito próprio, com poucos apoios e com “a prata da casa” tem alcançado resultados que devem orgulhar todos os marienses, seja prejudicada na sua ascensão à 1ª Liga do Campeonato Nacional.
P’lo Gabinete de ApoioPonta Delgada, 24 de Maio de 2005
Nada mais tenho a acrescentar a não ser que espero que a legalidade seja cumprida e que façamos dentro de dias a tão merecida festa da conquista da taça de Campeões da Segunda Divisão e ao mesmo tempo da passagem por direito, e sem liguilhas, do Clube Desportivo Os Marienses à primeira Divisão Nacional.
Parabéns Marienses pelo excelente trabalho e votos dos maiores sucessos na próxima temporada.
Abraços marienses
Santa Maria, 6 de Junho de 2005
Ana Loura