18 de dezembro de 2005

SIDÓNIO


" PIANO, POETAS e TROVADORES”


estas três fotos são da minha autoria



O Emissor Regional dos Açores da antiga Emissora Nacional, foi inaugurado, em Ponta Delgada, no dia 28 de Maio de 1941. Mas só a partir dos anos sessenta começou a investir noutras ilhas do arquipélago, Faial e Flores.

Com o 25 de Abril e a Autonomia Democrática, a RDP ganha novo fôlego com o apoio do Governo Regional.

“A nossa missão vai muito além das 9 ilhas do Arquipélago dos Açores, colaborando a RDP/Açores na programação e informação nacional, com a RDP/Internacional e realizando e produzindo para as Comunidades dos Estados Unidos, Canadá e Brasil o programa “Rota das Ilhas”, emitido por mais de 50 estações de rádio daqueles países. “

“O Centro Regional dos Açores da RDP possui, 23 emissores de FM, 3 de Onda Média, 11 da Antena 2 e 9 em DAB, estes últimos permitindo a recepção de todos os canais da RDP nacional (Antena 1, Antena 2 e Antena 3).”

“Tem 45 trabalhadores em Ponta Delgada, 5 em Angra do Heroísmo e 3 na Horta.”

“Os programas preferidos pelos ouvintes e com mais audiência são: os Noticiários, o “Inter-Ilhas” e as “Manhãs da Rádio”.

Acabei de ler excertos de uma informação cedida pela Direcção da RDP Açores.

Quero salientar, desta informação, o facto de o programa “Inter-Ilhas” ser um dos de maior audiência de toda a programação da RDP. Não é por acaso que atinge enormes níveis de audiência, pois é produzido por um comunicador, um homem que usa as palavras e o encanto que põe nelas, na forma como põe à vontade as centenas de pessoas que passam pelos estúdios da RDP, quer pessoalmente quer por telefone. Sidónio Bettencourt presta, aos microfones da RDP e nos ecrãs da RTP, um serviço inestimável à cultura Açoriana pela divulgação que faz dos eventos mais humildes aos acontecimentos mais marcantes em todas as ilhas do Açores.

Sidónio Manuel Moniz Bettencourt, Sidónio Bettencourt, para além de produtor/apresentador do Inter-Ilhas e apresentador do “Atlântida” na RTP, foi Deputado regional, pelo circulo Eleitoral de S Miguel na legislatura iniciada em Outubro de 1996, é escritor/poeta tendo editado pela editora Salamandra, colecção Garajau, o Livro “Deserto de todas as chuvas” de onde vos leio: resignação

O tédio esta manhã. a ilha descoberta trazendo o mesmo cheiro amargo. a atmosfera sem pintura. o navio. o mar ao largo. o voo da gaivota sem ternura

Lá vão
A carroça, a bilha do leite,
O cão, a missa, o vapor, tudo aceite


O vulcão em banho de broa. O amor apertado na lança. Cantarei contigo sempre à toa do lado azul da esperança

Lá vão
A carroça, a bilha do leite,
O cão, a missa, o vapor, tudo aceite

Raiz em envelope fechado. sagrado, feito emoção. isto não tem fim, não…no meio o mar, o grito. a balada, a forçada razão

Lá vão
A carroça, a bilha do leite,
O cão, a missa, o vapor,
tudo aceite

Sidónio Bettencourt tem poemas incluídos Em “Nove Rumores do Mar” antologia de poesia Açoriana, editado pelo Instituto Camões.

Foi-lhe atribuído pelo Sindicato dos Jornalistas o Prémio “Gazeta” Reportagem de Rádio 1989

É autor de uma reportagem radiofónica “Baleeiros em terra” que fala da baleação no Pico. Esta reportagem Conquistou os grandes prémios «Reportagem Açores/rádio-95», «Clube Português de Imprensa-95» e representou a RDP no concurso internacional de rádio «Prémios Ondas da SER-95», em Barcelona. Esta obra está representada na Biblioteca Nacional Digital.

Diz Sidónio desta sua obra: «Baleeiros em Terra» é uma declaração de amor aos homens e mulheres do Pico que, da terra e do mar, escreveram com suor, devoção e tragédia o cântico persistente da sua luta histórica: a heróica saga de baleação. Segredos, silêncios, memórias, medos, mistérios. Gente incompreendida de um só rosto, muitas vozes, um só tempo. Um só lugar: Lajes do Pico. Este é um olhar possível sobre a realidade económica, social, cultural e religiosa de um povo de fé, querer e crer, ética e rituais, lendas e fantasias. A morte e a sobrevivência no santuário das baleias.”

Sidónio Bettencourt faz parte do trio de recital " PIANO, POETAS e TROVADORES” juntamente com a pianista Carla Seixas de Lisboa e o cantor Manuel Francisco Costa.

Sidónio Bettencourt não é apenas um apresentador de programas radiofónicos e televisivos, é jornalista com a Carteira Profissional Nº 792, e foi moderador em várias sessões do Congresso da Cidadania.

Sidónio Bettencourt tem o dom da comunicação comparável, quanto a mim, ao de Vitorino Nemésio, não tivesse nascido ele no mesmo dia que o grande escritor Açoriano, claro que uns anos mais tarde.

As palavras de Sidónio, mesmo em prosa, são prenhes de poesia.

Hoje, dia 19 de Dezembro de 2005, dia em que completa meia centena de anos de vida, faço esta pequena homenagem ao homem, ao profissional, ao comunicador, ao Poeta Sidónio Bettencourt.

Abraços Marienses
Ana Loura

1 comentário:

Alma de Poeta disse...

Bonita e justa homenagem a um homem dinâmico, sensível, culto, um homem do povo.
Povo este, que lhe retribui do mesmo modo, o mesmo carinho e amizade, a mesmas ternura, que Sidónio Bettencourt a todos contempla, não olhando a classes sociais.
Sendo por excelencia um comunicador de massas.
Um grande divulgador da nossa cultura Açoriana, onde a tem levado sob diversas formas de comunicação, por esse mundo fora, até onde chega a voz de Portugal.

A TI SIDÓNIO um voto de felicidades pelo aniversário, e um desejo, que continues nessa linha simples que escolheste como um modo de estar na vida.

A TI ANA, um obrigada pela justa homenagem que fazes a esta grande homem que marca a nossa geração.
Deixo um beijo grande