17 de agosto de 2006

Adriano Borges




Adriano Borges junto ao grupo de amigos/paroquianos ajudantes no restaurante da igreja

Adriano Manuel Torres Borges sempre cativou os jóvens para tarefas solidárias (restaurante da igreja) Aqui com o Padre Tobias Rodrigues e Padre Fernando Sagaspe




Restaurante da Matriz 2006, Adriano Borges rodeado de alguns dos que deram corpo ao restaurante

Padre Sérgio Mendonça- Capela de Nossa Senhora do Ar- Aeroporto de Santa Maria


Bom dia!

Adriano Manuel Torres Borges nasceu na Freguesia da Ribeirinha, Concelho da Ribeira Grande na Ilha de S Miguel no dia 26 de Abril de 1974. É filho do Senhor Manuel Pimentel Borges e da Senhora Elisia Torres Pimentel. Cresceu com mais 8 irmãos.

Aos 12 anos, por consequência do ambiente familiar fortemente Católico e da influência de um amigo ingressa no Seminário menor de Ponta Delgada onde completa o 9º ano. De notar que no ano seguinte ao seu ingresso no Seminário, dois dos seus irmãos, tomam a mesma decisão apoiados pelos Pais e pelo próprio Adriano. Ao concluir o 9º Ano, Adriano passa a frequentar o Seminário de Angra para a continuação dos seus estudos do ensino secundário e complementar e cursar os estrudos filosófico-teológico que constituem o curriculum escolar dos Sacerdotes.

Foi ordenado Diácono no dia 8 de Dezembro de 1998 no Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Angra. É pouco depois que Santa Maria o recebe como Diácono pois vem para a Ilha exercer o Ministério nas Freguesias de Santo Espírito e Santa Bárbara em colaboração estreita com o saudoso Padre Jacinto Monteiro. Ordenado Padre no dia 25 de Junho de 2000 simultaneamente com os dois irmãos, tendo esperado estes estarem aptos a serem ordenados, e juntamente a mais 7 jóvens, na Sé de Angra do Heroísmo. Rezou Missa Nova a 30 de Junho na Igreja Matriz de Vila do Porto. Assume, posteriormente, os destinos pastorais da Paroquia da Nossa Senhora da Assumpção de Vila do Porto, após a transferência do Padre José Paulo para S Miguel. É-lhe atribuida, em 2001, a responsabilidade da Ouvidoria da Ilha.

É este o brevíssimo resumo biográfico daquele que é pároco de Vila do Porto, Capelão do Centro de Saúde de Vila do Porto, Capelão da Capela de Nossa Senhora do Ar de Vila do Porto e Professor de Educação Moral e Religiosa Católica na Escola Básica e Secundária de Vila do Porto durante os ultimos 6/7 anos.

Mas de Adriano Borges há muito mais a ser dito a bem da verdade e da justiça. O Adriano, como carinhosamente é chamado por quase todos os que participam nas actividades e grupos pastorais da Paróquia e da ilha, criou, juntamente com o Padre Tobias, a Escola Bíblica que durante anos contribuiu, para que quem a frequentou, dezenas de pessoas de toda a Ilha, ficasse com uma Fé muito mais esclarecida. Para além da Escola foi, também, criada uma outra para os jóvens que estando na fase final do seu precurso Catequético, estavam a ser preparados para a cerimónia da Confirmação, Crisma;

O Adriano concluiu a obra de reconstrucção da Capela de Nossa Senhora do Ar, dirigiu e geriu em colaboração com as comissões fabriqueiras, e mesas, as obras de restauro de vários edifícios religiosos entre os quais a Matriz, Ermidas e Impérios e para conseguir o dinheiro necessário para estas obras, para além dos subsídios das entidades governamentais e municipal, recorreu aos emigrantes marienses e de outras ilhas, tendo procedido em várias deslocações pastorais recolha de fundos fundamentais para a realização das obras.
O Adriano tem o dom de congregar à sua volta pessoas que adreriram às suas campanhas de angariação de fundos para as obras desde o primeiro minuto oferecendo mantimentos, o seu trabalho voluntário e indo comer ao "Restaurante da Igreja" que quase todos estes anos foi aberto no recinto das oficinas da Câmara Municipal por altura de diversas festividades. Este ano não foi excepção. E o motivo para mais uma campanha, para mais um arregaçar de mangas, é o futuro Centro Pastoral da Ilha. Mesmo sabendo que não será ele a iniciar a construcção, o Adriano, não quiz deixar de mobilizar os marienses em torno deste objectivo.Tem sido mais um sucesso esta iniciativa. O Restaurante está a funcionar desde a passada Sexta Feira ao jantar.
O Padre Adriano irá deixar Santa Maria no início do próximo mês de Setembro. Os frutos da sua permanência cá são muitos; uns vêem-se fácilmente, são evidentes, de pedra e cal, mas os melhores, os mais importantes, estão no coração de cada um de nós e são vistos nas nossas atitudes do dia a dia, na nossa forma de estarmos na vida, de olharmos o outro sofredor, necessitado ou simplesmente o Próximo, a Cananeia que muitas vezes é desprezada por não "ser das nossas" mas que pela sua Fé adequiriu o direito pleno de o ser. Conhecermos o Adriano, sermos seus amigos, seus paroquianos, participarmos da Escola Bíblica e posteriormente da Escola da vida, colaboramos com ele ou "simplesmente" participarmos das Eucaristias por ele celebradas fez, seguramente, de cada um nós seres humano mais solidários, mais empenhados, mais ricos. Bem hajas, Adriano.

O Jornal a União na sua edição de hoje refere: Por último, o Pe. Adriano Manuel Torres Borges, surge como candidato à Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma para estudos de especialização em História da Igreja e Bens Culturais.

Dentro de dias daremos as boas vindas a Sérgio Durval Melo Mendonça novo Pároco de Vila do Porto, natural da Ilha das Flores, nascido a 07 de Fevereiro de 1979, ordenado a 22 de Junho de 2003. Estejamos disponíveis e dispostos a respondermos e correspondermos aos apelos de colaboração que, certamente, eles nos fará.

Uma página será fechada na história da Igreja em Santa Maria mas outra se abrirá e todos temos a obrigação de participarmos activamente na sua escrita

Abraços marienses
Santa Maria, 14 de Agosto de 2006
Ana Loura

14 comentários:

M.C disse...

Sem dúvida que Santa Maria perde uma mais valia, o Padre adriano veio dar um novo folego à ilha, uma pessoa jovem, sempre disposto a ajudar todos e uma coisa que aprecio por demais que é a sua sinceridade, poderia tentar arranjar muitas palavras para descrever a pessoa e o que fez mas acho que está à vista de toda a população e se não fez mais foi porque não pôde.
O Adriano leva de certeza Santa Maria no coração e nós por cá vamos continuar a torcer por ele e que continue a alcançar todos os seus objectivos.

Um Grande ABraço

Anónimo disse...

ao padre Adriano Borges aqui tambem vai uma palavra da amisade da comunidade de Almagreira ao qual foi tambem pároco desta freguesia.
um homem sempre disponivel para tudo,amigo e companheiro de todas as horas.
Adriano muitas felecidades para a tua vida

que Deus te ajude sempre na tua missão de orientar o seu povo.
UM GRANDE ABRAÇO .
ADRIANO, OBRIGADO POR TUDO.

Pauulo Magalhães

Anónimo disse...

Enquanto uns vivem com tristeza a partida do pe Adriano, outros vivem a nostalgia antecipada da "perda" do Pe Sérgio Mendonça. Não sendo paroquiana dele, no entanto, desde que chegou a s miguel, sempre ouvi as melhores referencias dele como pessoa e como sacerdote. Mas tendo eu sido agnóstica mts anos, tento centrar-me essencialmente na forma como o sacerdote transmite a Mensagem de Deus e o que mais me cativou no Pe Sérgio (para além da sua bondade e simplicidade por todos referenciadas) foi a forma Universal como faz passar essa Mensagem: trata de forma tão proxima do "igual" o diferente, ou seja, os que um dia se perderam de Deus e de si proprios; não só não julga quem ainda não acredita como os acolhe como filhos do mesmo Pai. Penso que esta atitude é sábia e pode cativar mta gente que não consegue passar da soleira da porta da Igreja (os indecisos, os não praticantes)e não raras vezes recomendei as homilias do pe Sérgio a amigos meus desligados da religião.
Bem Haja ao Pe Sérgio Mendonça e a minha profunda gratidão!!
obs: também é de referir a nobreza do gesto de quem demostra o seu apreço pelo pe adriano.. nunca é demais dizer "Obrigada" a um Amigo que pensamos que vamos perder. Mas afinal quando se gosta de alguem não se perde esse alguem, guarda-se no coração...

mcc disse...

Em complemento da minha mensagem anteriror (que subscrevi sem nome), gostaria de um dia ver aqui reconhecido pelos seus paroquianos o mérito do trabalho prestado pelo Padre Sérgio Mendonça nas suas 4 paróquias (Lomba da Maia, Maia, Ribeira Funda e Lombinha da Maia). Tenho a certeza que reclamações não haverá, e havendo um ou outro percalço, será sempre justificável com o excesso de trabalho de que foi alvo. E, nem que fosse pelo seu enorme esforço em tentar estar disponivel para todas elas, acho que mereçe um enorme voto de GRATIDÃO!
MCC

Tiago Franco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
mcc disse...

Voltando à saída do Pe Sérgio Mendonça (mas não quero maçar mt mais as pessoas sobre este assunto e outros que ela traz à colação)e à simplicidade que lhe é inata, eu só não queria que esta mesma simplicidade obnubilasse mt do trabalho por ele feito, sobretudo o menos perceptivel e que é o trabalho de sombra, do Espirito, do saber trabalhar as consciencias...
Infelizmente na nossa sociedade valores tão raros como a simplicidade e humildade, na sua maioria, em vez de serem enaltecidos, são até quase sempre penalizados e só não queria que esta onda de "desvalores" atingisse a própria Igreja..
Pe Sérgio (e graças a deus outros sacerdotes que tb conheço) é a personificação dessa simplicidade. Saibamos dignificar, respeitando-os, estes valores cada vez mais em desuso. Só assim a Igreja começará por dar o exemplo de que a sociedade precisa para inverter o rumo de algum desnorte de valores em que caminha.
É nessa sociedade que vivo e é com mt pena que vejo mts amigos de enorme valor (valor como Pessoa, independentemente da intelectualidade da mesma) serem preteridos apenas pq a seriedade com que se empenham nas suas funçoes os leva a preferir trabalhar na sombra .. são sobretudo e antes do mais grandes Humanistas e qualquer um de nós pode ser isso: basta sabermos ser humildes e "amarmos o Proximo".. Aliás, a humildade é também o primeiro passo na escalada do conhecimento, pois quem pensa que tudo sabe jamais terá vontade de aprender, porque nem consicencia tem de que até ao momento da morte estamos numa constante aprendizagem da vida (e aprendemos com todos, sem distinção de classes)...

Desejo as melhores felicidades ao sr Pe Sergio que, de ora em diante, tenho a certeza se empenhará, com a mesma seriredade e simplicidade, na árdua tarefa se ser Mensageiro de Deus numa outra ilha.. pena é não podermos ser todos uma unica paróquia.. mas a vida é feita disso mesmo: partidas de um lado, chegadas do outro.. o mesmo acontece com o povo mariense que se despede do Pe Adriano, a quem tb apresento votos de mt sucesso no novo curso..

Anónimo disse...

Ao ler estes testemunhos de profunda amizade para com o padre Adriano sinto cada vez mais Santa Maria no meu coração de cidadão anónimo que teve a felicidade de aí trabalhar em tempos idos e de muita dificuldade. Foi a amizade dos marienses, dos mais humildes aos bem postos na vida que ainda hoje recordo.Que recebam o Pe Sérgio com a mesma alegria e vontade de vencer. Afinal a Fé que nos une, alimenta todos os valores que enobrecem a sociedade mariense.
Saudades são muitas mas este e outros blogs marienses alimentam-me a esperança de aí voltar para sentir o calor humano deste povo.
Sempre atento a Santa Maria...

Lua dos Açores disse...

Esta foi uma das minhas crónicas que mais prazer me deu, até ao momento. Estranho, não? Nutro um profundo carinho/admiração quer por Adriano quer pelo Tobias. A sua passagem por cá deixou rasto

Gostei imenso de ler todos os comentários até agora escritos sobre este post.

MCC, eu também tive a sorte de ser acholhida e abraçada no momento certo.O Pai sabe o que faz...e eu agradceço e oro por cada um que Ele sememou no meu caminho nas alturas em que precisei. Estive uns 18 anos afastada...o tempo q eu perdi...

Eu nunca frequentei os foruns da TSF, mas uma querida Amiga, uma das tais sementeiras do Pai, falou-me. Eu sou cheinha de defeitos...mas tento ser coerente e fazer transparecer essa coerencia em todos os meus actos. Sou barro, cheinha de falhas...tento deixar-me moldar pelas mãos do nosso Oleiro, sou impaciente, superficial, dizem que arrogante, tenho um longo e pedregoso caminho a percorrer. Que nunca me falte o suporte fraterno.

Quando li o q escreveste sobre o Padre Sérgio pensei com os meus botões: "Olá, temos gente" Que Deus o traga em boa hora e saibamos acolhê-lo.

Amigo Atento, acho que o tenho visto em diversos blogs. Sim, amamos a nossa ilha estejamos nós onde estivermos. Não é assim? Fico feliz por ter merecido a sua atenção.

Ao Marco, Tiago, Ângela... gosto, também, de vos ver por cá.
Serão todos bem vindos os que de forma sã (sem ataques pessoais ou infundados) queiram deixar a sua opinião e, assim, enriquecer este espaço.

Bem hajam todos

mcc disse...

Luados Açores boa tarde!
Foi com gosto que vi que alguem entende o porquê de eu dar tanta importancia ao trabalho menos visivel da Igreja: eu andei bem perto de ti no desvio que fiz de mim mesma e de Deus - 17 anos de paixão pelo existencialismo e racionalismo filosoficos... só me toquei num momento de grande sofrimento na m vida e tb qd alguem da Igreja, em vez de dizer "reza, vai às missas e verás que a fé volta", me disse que Deus nunca tinha deixado de estar cmg e que eu tinha primeiro que tudo que O encontrar dentro de mim...Penso que foram as palavras certas para a caminhada de regresso a mim e a Deus e depois então à Igreja ...e sim, sacerdotes como este e outros e pe sergio.. são pedaços humanizados de Deus, tal como outras Pessoas maravilhosas as quais, mesmo no agnosticismo, sempre me fizeram acreditar, por gestos e com o seu testemunho de vida, que Deus vai operando milagres todos os dias, mesmo com pequenos gestos mas que se tornam grandes se os olharmos com olhos do Amor de Deus..só precisamos estar Atentos..
BFsemana !!
abraço!

Lua dos Açores disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

bonita forma como os paroquianos confraternizaram no passado domingo com o padre Adriano na florestal.uma forma de manifestar carinho por quem, conosco trabalhou durante alguns anos .
e foram tambêm entregues algumas lembranças.
na comunidade de Almagreira, no final da eucaristia tambêm foi entregue em nome do povo uma recordação.
o Adriano vai partir mas fica no coração do povo mariense.
ao padre Sergio ,cá te esperamos .

P. Magalhães

mcc disse...

em relação ao pe sergio nem sei como estão a decorrer as despedidas, porque nao sou paroquiana dele, mas bem que merece gestos de gratidão de todas as paroquias..
eu já demonstrei a minha gratidão como cristã do mundo, cujo altar é qualquer um onde se celebre de forma mais aproximada possivel da essencia a Mensagem de Deus.. e ele era um dos que conseguia mt bem isso..
demonstro-a tb desta forma, escrevendo daqui para as futuras paroquias dele, que tenho a certeza irão acolhe-lo com o mesmo carinho com que agora se despedem do Pe Adriano!
B Haja a todos!!
MMC (S Miguel)

mcc disse...

ana estou a tentar colar comentarios no teu blog mas nao consigo nunca publica-los. se receberes diz o que me está a falhar.
abraço!
Maria - mcc

mcc disse...

Ana: por aqui reparo que pe sergio comemora seu 4º aniversario de sacerdócio esta semana..
ele para mim, desde que o conheço, já é um exemplo a seguir no sacerdócio.. oxalá a experiencia fortaleça cada vez mais os seus dons humanos e espirituais..
Um B haja para ele e que as suas comunidades o saibam acarinhar e que mesmo aqueles que lhe passam ao lado saibam que nele terão sempre um Amigo que, á semelhança de Deus (embora com as limitaçoes do humano, nao se pode esperar outra coisa claro), estará sempre com a porta da Igreja (coração)aberta a todos, crentes e nao crentes..
abraço de uma micaelense (ex agnostica) que nem paroquiana dele era mas que se sentia em casa nas suas igrejas, acolhida pela sua Mensagem, Mensagem sempre de Amor e Perdão.. um abraço a todos que partilham o mesmo sentimento que eu partilho pelo pe sergio pk quem é seu amigo meu amigo é..
bjs Ana e desculpa servir-me deste teu blog para "n" assuntos...
Mcc