Get this widget | Share | Track details
Mulheres de Atenas: Crónica Nº 19- Civismo

11 julho 2004

Crónica Nº 19- Civismo

Crónica Nº 19

Pois é, o nosso Presidente de todos os portugueses lá descalçou a bota, mas acho que ficou com um pedregulho no sapato. Espero que não sejam os pés do povo a ficar feridos com essa pedra. O futuro está aí à porta e irá julgar as atitudes quer de Durão Barroso, quer de Jorge Sampaio.

Civismo: dedicação pelo interesse público, pela pátria; o patriotismo.
Esta é a definição, sinónimo, que encontramos nos dicionários. Ora quem destrói o património comum, se serve dele sem respeitar aqueles de quem o património também o é, não tem civismo, não tem dedicação pelo interesse público, não é patriota.

Ora, os jardins e edifícios públicos, estradas, praias são "interesses públicos" portanto quem os estraga deliberadamente, quem os destrói, quem os suja, não tem civismo, não é patriota. A Praia Formosa é um interesse público, portanto, quem a usa abusando dela e deixando toda a sorte de detritos que a torna desagradável aos olhos e corpos de quem quer usufruir do sol e das cálidas águas do mar numa manhã de Domingo, não tem civismo, não é patriota. Estarão os ouvintes a pensar: Não é forte demais acusar de não patriota quem nas noites de sábado vai beber uns copos ao bar instalado no pasto da Maré e devido ou à escuridão da noite ou de cérebro toldado pela subida da taxa de alcoolémia não acerta com o copo ou a lata no balde do lixo e ela, que chatice, cai no areal? Talvez, mas a culpa não é minha, é do dicionário e dos linguistas que não sabem que numa ilha provavelmente da extinta Atlântida há pessoas que não respeitam o bem comum e só olham para o fundo dos seus copos.

Talvez que alguém pudesse distribuir uns folhetozitos pelos frequentadores do referido bar aquando a aquisição da bebida no acto do pré-pagamento com um mapa a localizar os baldes do lixo e a explicar que deixar cair o lixo no areal não é um acto cívico. De qualquer forma chamo a atenção da Câmara Municipal para o facto de à hora que as senhoras chegam, ontem, na praia já havia muita gente e as senhoras andaram pelo meio dos banhistas a apanharem o lixo deixado pelos tais "patriotas".

Soube que o Governo Regional nos vai brindar com a sua presença em mais uma visita de "desobriga". Os antigos sabem o que era a desobriga: era a confissão anual que os Católicos eram "obrigados" a fazer pela Páscoa de Ressurreição. O nosso Governo também pela obrigação instituída vem cá dizer, pela milésima vez, o que vai fazer mas não vai dizer que não fez, inaugurar com pompa e circunstância aquilo que por ser governo teve obrigação de fazer, mas como quem nos deu um chupa-chupa para a gente ficar muito felizes...
Sei que na reunião de preparação desta visita, o Conselho de Ilha esteve, mais uma vez, a fazer o levantamento dos nossos problemas para os apresentar ao Governo Regional e que um deles é o da saúde e a carência de meios humanos no nosso Centro de Saúde. Está a ser um caso difícil, pois difícil está o faz-se ver ao nosso governo que o problema de facto existe e se tem vindo a agravar de ano para ano.

No dia 03 de Setembro de 2001, o grupo parlamentar da CDU, na pessoa do Dr Decq Mota, apresentou um requerimento à Assembleia, colocando esta questão e perguntando se o Governo Regional previa "tomar medidas a curto ou a médio prazo no sentido de serem providas as vagas de enfermeiro e médico existentes no Centro de Saúde de Santa Maria" e se "Em caso negativo quais são as razões da inexistência dessas medidas?"

No seguimento destas perguntas foi recebida a seguinte resposta assinada pelo Secretário Regional Adjunto da Presidência:
1- A população de Santa Maria tem um excelente rácio utentes/médico 1500 utentes /médico. 2- No que toca a pessoal de enfermagem, a Região tem acautelado que os alunos que terminem os seus cursos sejam colocados segundo um plano que visa a sua distribuição por todas as unidades de saúde da região.
Etc...
Quer dizer que estávamos bem, graças a Deus, mas como agora estamos pior...Bom bom é que a gente não adoeça e não precise...
Haja saúde e que as festas de inaugurações sejam concorridas e esteja sol e que a RTP não se esqueça de filmar para que o partido do Governo vá fazendo uma campanhasinha eleitoral à custa do nosso dinheiro.
Boa semana
Santa Maria, 11 de Julho de 2004
Ana Loura