Get this widget | Share | Track details
Mulheres de Atenas: Mais uma vez...porque é Natal

22 dezembro 2006

Mais uma vez...porque é Natal



Foto de um presépio de lapinha executado e oferecido pela minha amiga Ana Coutinho com conchas de Azurara e S Miguel

Bom dia!

Mais uma vez porque é Natal.

De um CD que comprei há dias em que Johnny Cash interpreta canções e textos alusivos ao Natal deixo-vos uma pequena estória:

“Aconteceu numa tarde do fim de Dezembro,
Dois amigos procuraram um velho vizinho
E encontraram-no na loja dele tão pobre e vazia
Mas ele tinha-a tornado alegre com mil arcos verdes.
Conrad estava sentado com o rosto radioso,
Parou de repente de prender o fio dourado que pendurava
E disse: “queridos amigos, hoje ao alvorecer
Quando o galo espantava a noite
O Senhor apareceu-me num sonho
E disse-me: “Eu, hoje, vou ser teu hóspede”
Tenho estado ocupado, atarefado
A enfeitar a minha loja com galhos verdes
A mesa está arrumada e a chaleira brilha
E o azevinho enfeita as vigas.
Agora vou esperar que Deus apareça
Ficar à escuta para ouvir
Os Seus passos quando Ele se aproximar do meu pobre lar.
E abrirei a porta e olharei o Seu rosto.

Então os seus amigos deixaram-no só
Pois este seria o seu dia mais feliz
Desde que a sua família tinha falecido
E Conrad tinha passado muitos dias de Natal tristes.

Mas ele sabia que com Deus como seu convidado
Este seria o Natal mais desejado e feliz
Portanto sentiu o seu coração cheio de alegria.
Cada ruído o fazia espreitar
Para ver se o Senhor já estava à sua porta,
Como a visão que tivera há horas.
Correu para a janela quando ouviu um ruído
Mas tudo o que viu no chão coberto de neve
Foi um imundo pedinte com os sapatos rotos
E toda a roupa rota e surrada.
Mas Conrad ficou emocionado, foi à porta
E disse, “Sabes, os teus pés devem de estar gelados e feridos
Tenho sapatos na minha loja para ti
E, também, um casaco para te aquecer.
Com o coração agradecido o homem partiu
Mas Conrad reparou na hora
E perguntou-se o que teria feito atrasar Deus
E quanto mais teria que esperar,
Quando ouviu uma pancada na porta
Mas era, apenas, mais uma vez, um estranho
Uma velha curvada com um xaile preto
E um fardo de lenha às costas
Pediu, só, um lugar para descansar
Mas esse lugar estava reservado ao convidado de Conrad.
A voz da velha parecia suplicar “Não me mandes embora,
Deixa-me descansar um pouco neste Dia de Natal”,
Então, Conrad ofereceu-lhe uma chávena de café fumegante
E disse que se sentasse à mesa e ceasse.
Mas depois que ela saiu ele sentiu-se desanimar
Pois via que as horas estavam a escoar-se
E o Senhor ainda não tinha chegado e tinha prometido que vinha.
Então sentiu que se tinha confundido.
Quando na calma da noite ouviu um grito
“Por favor ajudem-me digam-me onde estou”
Mais uma vez ele abriu a porta
E ficou desapontado como nas duas vezes anteriores.
Era apenas uma criança que vagueava
E se tinha perdido da família no Dia de Natal.
De novo o coração de Conrad ficou pesaroso e triste.
Mas sabia que tinha de fazer a menina feliz.
Chamou-a e enxugou-lhe as lágrimas
E aquietou todos os seus receios infantis.
Levou-a de volta para casa.
Mas, quando mal entrou na sua porta escura
Ele soube que Deus não viria nesse dia.
Porque as horas do Natal tinham passado.
Ele foi para o quarto, ajoelhou-se e rezou
E disse “ Querido Deus, porque te atrasaste
O que te impediu que me visitasses?
Eu desejo tanto ver o Teu rosto”
Quando do silêncio ele ouviu uma voz suave
“Levanta a tua cabeça porque cumpri a minha palavra
Três vezes a minha sombra cruzou a tua sala.
E três vezes eu vim à tua porta abandonada.
Eu fui o pedinte com os pés em chaga e gelados
Eu fui a mulher a quem deste de comer
Fui a criança na rua deserta
Três vezes bati à tua porta, três vezes eu entrei
E de todas as vezes encontrei o calor da amizade.
De todos os presentes o amor é o melhor.
Senti-me honrado por ter sido o teu convidado neste Natal.”

Façamos do Nosso Natal um Natal de partilha e veremos o rosto de Deus.

Abraços marienses
Santa Maria, 18 de Dezembro de 2006
Ana Loura

7 Comments:

Anonymous Enoisa said...

Oi! Ana! Que lindo texto! Já conhecia mas é sempre muito bom ler novamente!! Ei, que música linda é essa? Fiquei apaixonada por ela!!! Beijinhos!

22 dezembro, 2006 17:06  
Anonymous Anónimo said...

Mais uma vez Ana, consegues tocar fundo em nossos sentimentos. Que a tua porta não se feche nunca e que tenhas sempre um amigo que a procure seja ele quem for.

Bom Natal nos Açores ou em qualquer parte do mundo onde te encontres.
L,A.

22 dezembro, 2006 17:43  
Blogger DE PROPOSITO said...

FELIZ NATAL e BOM ANO NOVO.
Felicidades
Manuel

23 dezembro, 2006 13:21  
Blogger Desambientado said...

Votos de um feliz Natal.

23 dezembro, 2006 14:05  
Anonymous Anónimo said...

Feliz Natal e Próspero Ano Novo
Com amizade e gratidão,
A Atento

24 dezembro, 2006 11:59  
Anonymous MAGALHÃES said...

Ana , BOAS FESTAS E BOM ANO NOVO PARA TI E TODOS OS TEUS.
UM ABRAÇO AMIGO.

P.MAGALHÃES

27 dezembro, 2006 04:22  
Anonymous mcc said...

E porque Natal continua para além de 25 de Dezembro, nunca é por demais lembrar que o Menino continua a bater-nos à porta dia após dia.. resta saber se O reconhecemos ou nao nos rostos de quem se cruza nos caminhos das nossas vidas... é um trabalho de consciencia que tenho que fazer mtas vezes, pois quantas vezes nao andamos tao mergulhados no nosso "mundo de pormenores", que esqueçemos o "mundo das Essencias"...?
Um Ano repleto de Saúde, Paz e Amor: por nós sim, mas tb Amor pelo Outro, isto é, pelo Proximo, que muitas vezes é tão mais proximo quanto mais afastado está das estradas da sociedade e vive em valetas de solidão e dor..
Abraço a Todos voces e a todos que têm em seus coraçoes (pessoas queridas, vivas fisicamente ou apenas em espirito)..
mcc

03 janeiro, 2007 07:11  

Enviar um comentário

<< Home