9 de outubro de 2006

Haja saúde!!!!


Bom dia!

Li no blog do Marco Coelho o último post dele e os respectivos comentários.

Diz o Marco

“Tive a oportunidade de ler num jornal regional que um estudo efectuado pela Direcção Regional de Saúde indicou que existem 20.000 Açorianos sem médico de família, pode-se ler ainda que a Directora Regional disse que as zonas mais problemáticas "são as grandes cidades" nomeadamente Ponta Delgada, Angra do Heroísmo, Ribeira Grande e Horta, devido à "escassez de médicos. Não questiono a veracidade deste estudo, agora, nós por cá já vivemos com esta problemática à muitos anos minha senhora, quantos utentes se deslocam ao CSVP inúmeras vezes para consultas e batem com o nariz na porta ??? Quantos meses levam os utentes marienses à espera de uma consulta???? A direcção Regional de Saúde diz já ter aberto diversos concursos públicos para a contratação de médicos de clínica geral mas cá nem vê-los porquê??? Não interessa, ou não há quem pressione o governo para que tal aconteça??? Ainda há bem pouco tempo foram colocados na cidade da Praia da Vitória médicos espanhóis. Só aqui é que não há maneira de as coisas melhorarem, mas é como digo se calhar não interessa.........”

Os comentários a este post, como sempre, dividem-se entre os anónimos que escrevem propositadamente com erros ortográficos a envergarem roupagens humildes para despistarem quem os lê e poderem dizer mal de tudo e de todos sem serem identificados, e os comentários sérios que pretendem contribuir para a discussão do tema, opinando sinceramente.

Saliento dois dos comentários, um que apesar de anónimo me parece sério e outro assinado com pseudónimo e que me parece, também, sério.

“Já passaram por cá bons médicos, já se deram ao trabalho de analisar porque não param por cá muito tempo?só ouvimos queixas e mais queixas parece que está tudo mal.Mas, os marienses devem de estar felizes porque vivemos neste paraíso socialista, onde tudo está mal mas ninguém denuncia
SÃO ROSAS SENHOR SÃO ROSAS.
MAS TEM CÁ CADA ESPINHO.
e assim vamos vivendo .Quando arranjamos consulta, já é tarde demais ,quando vamos mostrar exames estes já tem mais de um ano.a pequenada nas consultas de rotina como manda o boletim de saúde, só quando é adulta é que vê o medico.
SENHORES PARA QUE MAIS COMENTÁRIOS?
SERÁ QUE SÓ MEREÇEMOS ISTO.”

Outro comentário

“É um problema este C.S. de Vila do Porto mas o problema não é dos médicos cá radicados, esses coitados não dão para as encomendas - não podemos exigir mais da Drª. Isabel ela é muito atenciosa e está sempre disponível para ajudar quem quer que seja mas a mulher também precisa descansar, não pode aguentar 24 seguidas sobre 24 horas. O governo terá de por cobro a esta situação de os médicos que para cá vêem sentirem gosto em cá estar, é que por vezes nem aquecem o lugar outras vezes é o lugar que não aguenta com eles.... e o melhor mesmo é irem embora porque assim nem eles e nem nós temos segurança, e nestas coisas não se pode brincar pois está em jogo muita gente. Por isso acho que os médicos que queiram trabalhar têm muito que fazer. Agora não podemos é continuar a pensar que os melhores terão mesmo de ir para as grandes cidades também precisamos deles nos centros de Saúde, era preferível haver cá um bom especialista em determinada especialidades, equipar a unidade onde tivesse que exercer a sua actividade, a termos que deslocar doentes para fora da ilha, custando ao Estado milhares de Euros mês, fora aqueles que dada a sua gravidade ainda se vêem obrigados a recorrer aos Privados. A Política de Saúde ao longo dos anos não tem tido nada fácil para nenhum Governo mas há que não desanimar e quem sabe até também da nossa parte sermos um pouco mais compreensivos sempre está melhor do que aqui há uns anos atrás onde só um médico existia. Sei que também aqui vão dizer o Mariense tem aquilo que merece!!!! Mas esse é um ponto de vista com o qual nunca concordarei.”
Leitora Atenta.

As questões da saúde, em Santa Maria, parece que vão de mal a pior. Pelo que entendi os doentes do Dr. Dinis continuam sem Médico de Família e os números e percentagens destes doentes não entram nas estatísticas do Governo Regional. Será que é cegueira e a Direcção Regional de Saúde está a precisar de ir ao oftalmologista? Todo o cidadão tem direito a cuidados básicos de saúde e não é porque há zonas mais carenciadas que nos faz deixar de ter direitos e reclamar por eles.

O voto deveria ser a expressão do descontentamento do Povo. É nas urnas de voto que damos a nossa confiança àqueles que fazem de nós estatísticas reais. Saibamos escolher entre os que nos ignoram e os que se importam.

Abraços marienses
Azurara, 9 Outubro de 2006
Ana Loura

11 comentários:

Andante disse...

Olá Lua.
Vim visitar-te e, deixa que te diga, somos quase da mesma idade. Eu ganho...
Vou colocar-te, já, nos favoritos.

Beijos peregrinos

M.C disse...

Fico satisfeito pelos meu blog ou um dos post´s neste caso, ser merecedor de ser mencionado na tua crónica.Tento de uma forma ou de outra dar a minha opinião sobre os mais diversos assuntos da nossa ilha mesmo que estes pisem os calos a alguém.Bjs e mantem-te informada na blogosfera mariense.

Tiago Franco disse...

A falta de médicos é um problema crónico do país. Formam-se poucos e o sistema de saúde não ajuda na organização. As clínicas privadas proliferam e o atendimento público funciona apenas como "angariador de clientes". Podem começar a importar médicos de Cuba. São bons e muitos :)
(uma pequena e paralela nota. Não acho que os erros ortográficos sejam propositados na sua maioria. Viajando na blogosfera questiono-me se ainda existirá ensino primário?)

Paulo disse...

e tantos doentes que infelizmente já faleceram, mas no entanto, continuam a encher a lista dos medicos...

Anónimo disse...

ENSINO PRIMÁRIO = PRIMEIRO
Sim Tiago, ainda exite, para mal dos nossos pecados. Isto é a sério!
Há documentos por esta região fora onde ainda se regista " Ensino Primário" aquele que por mais " Básico" o queiram transformar também permanece nas mentes tacanhas duma sociedade pseudo-evoluída. Nada mais falso.
Hoje, com o avanço da escola paralela (julgo saber de que escola se trata) podíamos, muma Pátria pequenina como a nossa, sermos verdadeiros exemplos de cultura. Infelizmente não somos nada, nem coisa nenhuma, cada vez estamos mais no fundo. É pena realmente que estes erros apareçam de forma repetida (significam problema). Os professores do 1º Ciclo do Ensino Básico "primários" da nova geração, salvo raras excepções, também já carregam problemas de escrita e outros bem preocupantes, não dominam as didácticas, ponto essencial do saber ensinar a aprender.
No tema anterior deste blog escrevi sobre a questão das novas tecnologias, recebendo da Ana aquele abraço amigo de alento. Fico contente com o "feedback", continuo triste pelo caos em que o ensino-aprendizagem mergulhou e satisfeitíssimo por ver certos jovens preocupados com o nosso portugûes, quando, mirando os "profiles" dos que aqui vêm reparo que nós, os da geração de cinquenta, até nem somos uns atrasadinhos tecnologicamente.
Chamem-nos malucos, progressistas, parasitas da net, tudo, ... Gostamos de estar convosco, com juventude e mente sã. Obrigado Tiago, obrigado Ana, obrigado nova amiga "Andante", e a todos os malucos da blogosfera um esforçozinho: Vamos falar e escrever português do melhor que sabemos, sempre com o velho problema que, só às vezes, o teclado no engana.
P2A = Pai, professor* e amigo

Francisco disse...

Mas porque não tentar escrever o melhor possivel?Eu entendo que quando se está num blog não se tem tanto cuidado com a escrita,mas não custa tentar.Vi noutro blog criticarem diversas pessoas por escreverem mal,não tem importancia,mas´quem ousa colocar pessoas ,instituições em causa e por vezes sem um suporte verdadeiro e que fala do que ouve no café ou em jantaradas está sujeito a critica a todos os niveis.Ou não será?

M.C disse...

Correcto, não podemos também é limitar aqueles que não tem um português perfeito a darem a sua opinião sobre as coisas.

Lua dos Açores disse...

Eu até nem escrevo bem...

Oh Marco, ninguém pretende nem sonhou limitar ninguém. O que eu disse, e sei do que falo, é que há gente que faz de conta que não sabe escrever, emprega fraseologia pertensamente popular, mariense, até "labrega" (sem ofensa para quem quer que seja, estou só a tentar ser clara) para se fazer passar pelo que não é, atirar areia para os nossos olhos para que nem sonhemos quem está a escrever. Tive um caso desses aqui há muito, alguém que escrevia, inclusivé, com erros e muitos beis, homessas e minentes unicamente para disfarçar, poder dizer mal sem que se soubesse quem era...Mas enfim...eu até nem nsaci ontem... E alguns comentários no S Maria são exactamente assim, até parecem dessa mesma pessoa.

Era isso que eu queria dizer.

Mais algum esclarecimento cá estou eu

M.C disse...

Refiro-me aqueles que realmente não tem um português perfeito e escrevem com sinceridade a sua opinião, os outros .......... são apenas os outros

bjs

mcc disse...

Haja saúde para quem lê!!
Digo isto com toda a sinceridade, não só pela saúde ser um bem por demais precioso, mas tb por tratar dela a sério nos estar a sair cada vez mais caro..
ainda ontem numa clinica em sao miguel várias foram as pessoas de flores, corvo e stª maria que cá se deslocaram propositademente para exames médicos.. como eu digo sempre são nove insularidades dentro de uma .. e eu estou no centro desta "Uma", mas que se torna periferia quando vejo que por exemplo afinal a minha doença nao consegue ser diagnosticada na Região e tenho que lançar mao ao bolso se quero uma segunda opinião no continente, que essa sim (e graças a Deus) me aponta finalmente uma saída para um mau estar que só eu sabia como me afectava.. Mas Hajá é Saúde e que se lixe o dinheiro, mas atençao, isto só digo pq felizmente posso ao menos "desviar" os meus 2 subsidios (férias e natal)para um bem mais essencial e que é a saúde. Com isto privo-me claro dos objectivos visados por aqueles subsidios. Mas tudo bem.. (vamos caminhando nas cedencias para nao nos chatearmos mt e preservarmos a saúde, a cara saúde..)..
Pena tenho (pena dos doentes e mta indignação à mistura contra o sistema que se diz de "justiça social" mas que se torna cada vez mais de de INJUSTIÇA social) daqueles que precisam desses subsidios como do pão para a boca e acabam, por vezes, por "morrer à mingua" (ou protelar a sua patologia por anos infindaveis de martirio que lhes retiram a qualidade de vida que todos merecem e que a medicina lhes pode dar) se não apanharem médicos dignos desse nome e dessa profissão que se requer mt digna, que os canalizem rapidamente para o continente (claro que isto tb se passa numa escala mais pequena, por ex quando nos centros de saúde não se envia o doente a tempo para um hospital de maior dimensão)e que se façam acompanhar de uma comparticipaçao financeira digna (não é ver como vi açorianos doentes e acompanhantes a alimentarem-se mt mal por lisboa por causa da misera diária disponibilizada pelo governo). Para isso é necessario que o medico coloque o doente no centro da sua vida profissional e que nao veja nisso um ataque à sua competencia, uma machadada no seu orgulho profissional, mas antes como reconheçimento das suas limitaçoes dentro das suas especialidades.. porque no fundo a humildade sempre foi o primeiro passo na escalada do conhecimento: quem pensa que tudo sabe só pode estagnar porque julga que nada mais há a aprender.. quando afinal a nossa vida é uma constante aprendizagem e é tão bom que assim seja!! e é tão bom saber que nessa caminhada todos precisamos uns dos outros, ninguem é omnisciente.. tudo quanto Deus faz é bem feito..
Votos de Muita Saúde!
Maria

mcc disse...

oxalá me perdoem eventuais erros de portugues que só agora, após publicado o meu anterior comentario, me apercebi ter cometido.. não foi deliberado, mas sim lapsos de escrita..
bom fim de semana e feliz dia santo amanha!!
abraço!