Get this widget | Share | Track details
Mulheres de Atenas: Dalberto Teixeira Pombo

14 outubro 2007

Dalberto Teixeira Pombo

Dalberto Teixeira Pombo- 9 de Novembro de 1928-11 de Dezembro de 2007
Hoje faço 55 anos, vim ao pc deixar os meus abraços a quem me visitar e recebo a notícia que o Senhor Pombo antes de ontem "se foi juntar a todas as borboletas do Céu." Estou triste e sem muitas palavras por saber que partiu, mas feliz por ter tido o previlégio de o conhecer. Para a Esposa, filhos e netos o meu abraço e a certeza de que ele anda a espalhar o sorriro e a contar as suas estórias e histórias naturais pelos átrios da cada do Pai

Bom dia!

Se há pessoas por quem nutro profunda simpatia uma delas é o Senhor Pombo. Já por várias vezes tinha manifestado a minha preocupação por não terem, ainda, as entidades oficiais feito o que finalmente fizeram no passado dia 27 de Julho: recebido o espólio recolhido pelo Senhor Pombo ao longo da sua vida. Este homem é um conversador nato, nunca teve pressa ao contar as suas estórias e ao falar da sua enorme preocupação com o futuro dos livros, escritos e restante material recolhido ao longo da sua vida. Disse-me muitas vezes que a D. Noémia, sua esposa, já não conseguia limpar a sala tal era o volume de tralha amontoada por tudo o que é sítio e que há anos lhe fazia o mesmo ultimato no sentido de ele dar destino a tanta papelada, tanto livro. Afinal o destino chegou: a “tralha” do Senhor Pombo irá ficar ao alcance de todos, depois de devidamente catalogada e tratada, na Delegação de Santa Maria da Secretaria Regional do Ambiente e do mar. Nada mais justo ficar este espólio na ilha de Santa Maria. Esperemos que entretanto não haja nenhum “iluminado” que entenda que o lugar do espólio é um departamento da Universidade ou o Museu de Carlos Machado. Não que o espólio não mereça local que mais honre a sua qualidade, mas o ficar em Santa Maria é uma mais valia, mais um pólo de interesse para os visitantes. Nem só com campos de golfe se motiva a vinda de pessoas a Santa Maria (embora para mim seja discutível que o campo de golfe seja motivação, mas isso são outros quinhentos dos quais já diversas vezes falei)

No documento final do Atlantic Islands Neogene Internacional Congress realizado 12 a 14 de Junho de 2006 pela Universidade dos Açores e do Workshop “Paleontology in Atlantic Islands” realizado de 15-25 de Junho de 2006 em Santa Maria pelo Marine Paleobiogeography Working Group do Departamento de Biologia Universidade dos Açores diz-se no seu ponto
6 Agradecimentos
Agradecemos a ajuda inicialmente prestada ao Doutor Sérgio Ávila pelo Sr. Dalberto Pombo, um dos maiores naturalistas dos Açores e responsável pelo incutir em várias geração de jovens de Santa Maria, o “bichinho” pelo estudo do património natural dos Açores. Daí que, já em 2002, se tenha proposto no final do 2º Workshop a devida homenagem a este mariense, com uma sala “Dalberto Pombo” na “Casa dos Fósseis” (proposta de museu para Santa Maria).

No diário dos Açores do dia 17 de Junho último: Igualmente em projecto está a constituição de uma "Casa dos Fosseis" em Santa Maria, que se caracterizará pela construção de uma "Sala de Dalberto Pombo" – um mariense considerado o naturalista açoriano mais antigo vivo.

Noutro documento, este da autoria de Helen Rost Martins pode ler-se: Descobrimos, para nossa surpresa, que um Mariense (natural da Ilha de Santa Maria) já tinha começado, em conjunto com o seu grupo de "Jovens Naturalistas", a marcar tartarugas. Este naturalista amador, de nome Dalberto Pombo, partilhou as suas marcas connosco.

Mais uma das referências a Dalberto Pombo num documento sobre a Biodiversidade: As expedições científicas entomológicas às várias ilhas dos Açores (projecto BALA) só foram possíveis devido ao apoio generoso de Manuel Loureiro como Director dos Serviços Florestais (1998-2000), e ainda de Dalberto Teixeira Pombo (CJN - S. Maria), um dos poucos Naturalistas que alguma vez viveram nestas ilhas.

São muitas as referências ao Senhor Pombo na Internet em trabalhos de pesquisa científica das mais diversas Universidades, desde a de Glasgow até à Universidade da Florida

Para além de Naturalista conceituado e respeitado internacionalmente, o Senhor Pombo, foi um formador de jovens quer no agrupamento dos Escuteiros de Santa Maria do qual foi fundador e Chefe durante muitos anos, quer ao ter formado o Grupo de Jovens Naturalistas de Santa Maria. E é com uma referência feita por este grupo no Baluarte que termino esta minha homenagem a um homem que tanto admiro:

Dalberto Teixeira Pombo

“nasceu a 9 de Novembro de 1928 na simpática aldeia de Almofala, Figueira de Castelo Rodrigo. Veio para Santa Maria trabalhar para a Direcção Geral da Aeronáutica Civil em 1952, até à sua reforma em Dezembro de 1988, exercendo as funções de Escriturário de Tráfego, de Despachante de Mensagens e por último de Tesoureiro na depois formada ANA, EP. Casou a 23 de Abril de 1955 com Noémia Pombo, uma mariense, e tiveram um filho e duas filhas. Apesar de não ter nenhum curso universitário, pois só possui o curso Complementar do Liceu, foi um homem que sempre se interessou pela natureza e pelo ambiente, incentivando e ensinando os seus filhos nesse âmbito. Saia com eles para apanhar borboletas com rede feita por ele e os coleópteros que se encontravam nas flores. Ao serão todos se envolviam no trabalho de preparação das borboletas e nas diversas fases de preparação e até lhes ensinou a embalsamar um milhafre. Todo este ensinamento foi passado por ele aos netos, com o mesmo interesse e entusiasmo.

Foi um dos fundadores do CNE- Corpo Nacional de Escutas em Santa Maria e do Centro de Jovens Naturalistas, sendo deste, o seu responsável.
(…)

Descobriu dezenas de espécies ligadas à Biologia, sendo estas publicadas em vários artigos científicos, tais como da Sociedade Portuguesa de Entomologia, do Dr. Artur Serrano e Dr. Prof. Paulo Borges. De entre estas espécies há cinco que alguns investigadores lhe prestaram homenagem classificando os mesmos com o restritivo específico “Pomboi”
- um crustácio de água em 1974
- dois ácaros em 1992
- dois coleópteros, um em 1990 outro em 2002.

Com estas merecidas homenagens fica Dalberto Teixeira Pombo imortalizado. Esperemos que a classificação do acervo seja suficientemente célere para que seja o Senhor Pombo a cortar a fita da exposição permanente do seu trabalho de uma vida

Abraços marienses
Árvore, 15 de Outubro de 2007
Ana Loura

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

15 de Outubro - nem uma palavra - foram tantos os que com ele lidaram , os que com ele conviveram tantos anos da sua vida, e hoje estamos para aqui sem nada dizer sobre um Homem que tanto dedicou a uma Região que adoptou por amor. Tenho pena que a minha terra não tenha sabido agradecer-lhe, havendo tanta oportunidade. Mas este mundo é assim .Obrigado Ana por teres lembrado um bom amigo no teu blog e mais uma vez o Ditado tem razão em que Santos de casa não fazem milagres.Somos assim que havemos de fazer...
Abraços da nossa Terra
L.A.

19 outubro, 2007 17:48  
Blogger Pat said...

Quero agradecer do fundo do coração, como neta, as sentidas palavras proferidas...Hoje especialmente, no dia em que se juntou a todas as Borboletas do Céu...Foi um grande Homem em todas as suas vertentes...Obrigada

Patrícia

12 dezembro, 2007 15:49  
Anonymous Anónimo said...

se a coisas boas na vida uma delas e ter orgulho em de ser de Almofala

02 dezembro, 2008 13:46  

Enviar um comentário

<< Home